Dominância cerebral foi tema do segundo mini curso da ACIARA e UFT para empresários


1 de abril de 2019
Dominância cerebral foi tema do segundo mini curso da ACIARA e UFT para empresários

O assunto é uma ferramenta importante para trabalhos em equipe e evolução profissional

A parceria entre a Associação Comercial e Industrial de Araguaína (ACIARA) e o curso de Logística da Universidade Federal do Tocantins (UFT) avançou para o segundo mini curso técnico voltado para empresários e gestores do comércio da cidade.

A temática “Dominância Cerebral” foi abordada para situações de trabalho em equipe.

Dominância Cerebral

A Dominância Cerebral é uma metáfora e trata-se de uma fusão das preferências de pensamentos dos dois sistemas pensantes: o Límbico e o Neocórtex. Dentro desses dois sistemas, o professor doutor Degson Ferreira apresentou quatro grandes estilos de pensamentos: Analítico (superior esquerdo), Controlador (inferior esquerdo), Relacional (inferior direito) e o Experimental (superior direito).

Lado Esquerdo

“Dentro desses estilos de pensamentos, nós podemos destacar o pensamento analítico e o controlador. O analítico tem características de pessoas que gostam de números, que entendem de dinheiro, é analisador, gosta de trabalhar com dados e principalmente sozinho. Já o pensamento controlador tem a características de tomar providências, planejamentos, atenção aos detalhes e gosta de segurança”, explicou o professor.

Útil no dia a dia

Para a diretora de RH, Gilma dos Santos, a palestra para os empresários veio em um bom momento.

“Eu estou começando nessa função agora e ter esse treinamento é fundamental. Às vezes faltam essas técnicas para nos ajudar no momento da contratação e de liderar uma equipe. Saio daqui com outro pensamento sobre identificar o pensamento e a característica de cada pessoa do meu grupo de trabalho”, destacou.

Resultado

Se o líder e os membros da equipe de trabalho souberem, equilibrar sua energia racional e emocional, eles terão maiores chances de realizar um trabalho mais participativo, criativo e com maior qualidade. Quando as diferenças ou dificuldades se transformam em virtudes, o grupo de trabalho pode descobrir e implementar boas soluções.

“Depois do minicurso eu identifiquei pensamentos que realmente predominam sobre a minha personalidade pessoal e profissional. Eu também percebi o quanto eu preciso desenvolver meus outros pensamentos, como o experimental e relacional, que são pouco usados no meu dia a dia e podem me ajudar a melhorar o meu convívio em grupo”, pontuou a operadora de caixa, Samanta Campos.